Guia do Cafezinho, um roteiro com curiosidades sobre o café.

Se você adora um bom cafezinho ao acordar ou logo após o almoço, você não está sozinho.

O consumo do cafezinho no Brasil tem crescido ano a ano e, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 79% das pessoas tomam a bebida.

Em média, cada brasileiro toma quatro xícaras por dia. E você, já tomou quantos cafezinhos hoje?

 

Consumo de café por brasileiros chega a 79%.

 

A origem do café

 

Não há evidência real sobre a origem da bebida, mas de acordo com informações da Associação Brasileira da Indústria do Café (ABIC), a lenda mais aceita é que o grão foi descoberto pelo pastor Kaldi, que viveu na Absínia, hoje Etiópia, há cerca de mil anos.

Kaldi teria observado que as cabras de seu rebanho ficavam agitadas e cheias de energia sempre que comiam as frutinhas de coloração amarelo-avermelhada dos arbustos.

O jovem comentou o assunto com um monge, que resolveu utilizar os frutos na forma de infusão, percebendo que a bebida o deixou mais bem-disposto.

Mas foi a Arábia a responsável pela propagação da cultura do café preparado com água fervente.

O nome café não é originário da Kaffa, local de origem da planta, e sim da palavra árabe “qahwa”, que significa vinho.

Por esse motivo, o café era conhecido como “vinho da Arábia” quando chegou à Europa no século XIV.

 

A lenda mais aceita é que o grão foi descoberto pelo pastor Kaldi, que viveu na Absínia, hoje Etiópia, há cerca de mil anos.

 

Características de um bom café

 

O café possui inúmeras características e pode ser suave, forte, extraforte, descafeinado, orgânico, entre outros.

As espécies mais cultivadas no mundo são a arábica e a robusta. A primeira é eleita pelos apreciadores como a melhor do mundo.

Já o segundo tipo, o robusta, apesar de concentrar uma pitada a mais de nutrientes, não faz tanto sucesso.

Uma boa dica é procurar cafés que vêm em grãos inteiros ao invés dos moídos, assim você garante maior frescor e que suas qualidades estejam intactas.

Café arábica e robusta, os mais consumidos no mundo.

Cafeteira Francesa e o sabor do café

 

Na cafeteira francesa, o pó é diretamente misturado à água, já aquecida a uma temperatura de 96ºC.

Depois de alguns minutos, abaixa-se o êmbolo, que separa as partes não diluídas do restante do café.

É aconselhado esperar alguns minutos para servir a bebida, dando tempo para o sedimento decantar.

O resultado: um café mais concentrado e forte. Assim, é possível perceber melhor as notas frutadas da bebida. 

 

A cafeteira francesa preserva o aroma e o sabor do café.

 

Coador de pano, filtro ou cafeteira

 

A possibilidade de fazer seu próprio expresso tem, sim, atraído os brasileiros, mas o bom e velho café coado ainda reina soberano por aqui.

Segundo a ABIC, 80% dos cafezinhos são preparados com coador de pano, filtro de papel ou cafeteira elétrica.

Esta é a forma mais tradicional de se preparar o café.

Em alguns lugares do interior as pessoas ainda fazem o café assim: colocam o pó direto na água já quente e, depois, passam a mistura pelo coador.

Os mais tradicionais colocam o café em um bulê.

 

Coador de pano, filtro ou cafeteira.

 

Cafeteiras enchem o ambiente com o aroma do café

 

Para quem não dispensa um cafezinho pela manhã, as cafeteiras são um item essencial, além de encherem o ambiente com aquele delicioso aroma.

A cafeteira turca é o método mais antigo de todos. O preparo é quase um ritual: adicione o pó de café bem fino juntamente com a água no Ibrik e leve ao fogo para ferver.

O processo precisa ser repetido mais três vezes e, depois, o café já pode ser servido. A cafeteira globinho parece um experimento científico.

Seu preparo é todo charmoso: primeiro a água é colocada na parte inferior e o pó na superior. A chama aquece a água, que se transfere para o recipiente de cima.

Depois disso, é só apagar o fogo que o café passará para a parte de baixo e estará pronto para beber.

Já a cafeteira italiana (também chamada de cafeteira napolitana), é a precursora das máquinas de café expresso e ainda é o equipamento mais usado na Europa.

Para fazer o café, é só colocar a água no compartimento de baixo e o pó dentro do recipiente furadinho. Depois, leve ao fogo e o café pronto ficará no reservatório de cima.

 

Cafeteiras enchem o ambiente com o aroma do café.

 

A bebida não é apenas composta de cafeína

 

O café também é rico em sais minerais, como ferro, zinco, potássio, magnésio, vitamina B, além de antioxidantes naturais que auxiliam no combate à celulite.

Pesquisas realizadas pela Universidade de Scranton (EUA) mostram que ingerir a bebida diariamente reduz o risco de diabetes tipo 2, Mal de Alzheimer e câncer de próstata.

Além disso, a cafeína estimula o sistema nervoso central, melhora a concentração e possui ação termogênica, o que aumenta seu gasto calórico.

Para que seja possível sentir os benefícios do café no organismo, os especialistas indicam o consumo médio de três a quatro xícaras diárias – não mais do que isso.

 

A bebida não é apenas composta de cafeína.

Como preparar um delicioso café

 

Para servir um café delicioso, você deve seguir quatro regrinhas:

  1. A água deve ser sempre limpa, filtrada e nunca fervida, e é importante que ela seja retirada do fogo assim que as bolinhas começarem a aparecer.
  2. O café deve ser protegido de seus inimigos que são oxigênio, temperaturas que não seja ambiente, umidade e luz. 
  3. Cada preparo exige uma moagem diferente, por exemplo, expresso pede moagem fina, filtro de papel, moagem média e prensa francesa moagem grossa.
  4. O preparo deve seguir sempre a mesma proporção de 180 mls de agua para 10g de café moído!

 

 

Como preparar um delicioso café.

 

Café puro e sem açúcar

 

Assim como o vinho, tomar um simples café pode despertar o paladar para várias sensações. A melhor maneira de sentir o sabor é tomá-lo puro, sem açúcar.

A pessoa deve, ainda, observar os quatros passos da degustação:

 

  1. Sinta o aroma. Para isso, feche os olhos para ter uma sensação bem completa.
  2. Sorva o café: traga para boca oxigênio junto com o café, fazendo barulhinho como se estivesse tomando sopa de colher.
  3. Identifique o momento: tente entender o que você sente, quais são as sensações e lembranças ao tomar o café (isso ajuda a fazer do ato uma experiência única).
  4. Compartilhe a experiência: não tem certo e errado, trocar informações sobre o café ajuda a achar as palavras no momento e também a conhecer melhor a bebida.

 

 

A melhor maneira de sentir o sabor do café é tomá-lo puro, sem açúcar.

 

Acompanhamento para o cafezinho

 

Tem coisa melhor do que degustar um café quentinho acompanhado com bolo caseiro?

Para completar, algumas dicas de acompanhamento para o cafezinho, de acordo com a região de cultivo.

Os café da América Latina devem ser acompanhados por doces de cacau, nozes, caramelo e chocolate ao leite.

Os complementos ideais do café da Ásia e do Pacífico são queijos, produtos com especiarias ou ervas e amanteigados em geral.

Já os cafés africano e da Arábia pedem bolos cítricos, frutados ou até com toques florais!

E a água com gás que vem junto com a xícara de café? Saiba que não existe uma regra fixa!

O motivo de ela estar lá é para limpar o seu paladar e deixar as papilas gustativas mais apuradas para sentir plenamente o gosto da bebida.

 

Guia do Cafezinho, um roteiro com curiosidades sobre o café.

 

Guia do Café Expresso

 

Nós fizemos também um Guia do Café Expresso com Infográfico com 18 receitas (veja mais aqui).

Com essas dicas você pode inovar e experimentar receitas diferentes. Saia da rotina e sirva um café diferente para seus familiares ou amigos!

 

Guia do Café Expresso

 

 

Coado ou expresso? Forte ou fraco? Arábica ou robusta? Qual o seu preferido? Deixe sua opinão nos comentários!

Siga o Café Ouro Negro também no Pinterest!

 

Cafezinho bom mesmo é o mineiro Ouro Negro, 100% arábica!

 

 

 

WhatsApp Fale com a gente!